LISTA DE BIBLIOTECAS VIRTUAIS

cropped-cropped-technology-wallpaper-9-2.jpgHá um bom tempo que não posto no Blog. Devido a meu novo projeto, que em breve todos terão conhecimento.

Separei alguns links de Bibliotecas Virtuais, que penso ser necessário para pesquisas e até intercâmbio entre bibliotecas. Espero que gostem, e caso queiram contribuir, só comentar nesta postagem.

Bibliotecas Virtuais

BIBLIOTECAS VIRTUAIS E LINKS AFINS

BUSCA DE BIBLIOTECAS
LibDex – www.libdex.com
Lib-web-cats – www.librarytechnology.org/libwebcats

  1. BIBLIOTECAS

Biblioteca Central da UFRGS –www.biblioteca.ufrgs.br 
Bibliotecas da cidade de São Paulo – www4.prefeitura.sp.gov.br/biblioteca
Biblioteca del Congreso Argentino:www.bcnbib.gov.ar
Biblioteca do Congresso (EUA) – www.loc.gov
Biblioteca Nacional (Brasil) -: www.bn.br
Biblioteca Nacional de Espanha – www.bne.es
Biblioteca Nacional de Portugal – www.bn.pt
Biblioteca Pública do Estado do Rio de Janeiro – www.bperj.rj.gov.br
Bibliotecas virtuais do sistema MCT/CNPq/Ibict – www.prossiga.br
Bibliotecas das universidades públicas paulistas –www.bibliotecas-cruesp.usp.br
Biblioteca Digital Andina – www.comunidadandina.org/bda
Biblioteca Digital de Obras Raras – www.obrasraras.usp.br
Biblioteca do Senado Federal -: www.senado.gov.br/biblioteca
Biblioteca Mário de Andrade – www.prefeitura.sp.gov.br/mariodeandrade
Biblioteca Nacional de la República Argentina – www.bibnal.edu.ar
Biblioteca Nacional del Perú – www.bnpe.gob.pe
Biblioteca Nazionale Centrale di Roma – www.bncrm.librari.beniculturali.it
Biblioteca Virtual Galega – www.bvg.udc.es
Bibliotheca Alexandrina – www.bibalex.org/website
California Digital Library – www.californiadigitallibrary.org
Celtic Digital Library – www.celtdigital.org
Educ.ar Biblioteca Digital – www.educ.ar/educar/superior/biblioteca_digital
Gallica (Biblioteca Nacional da França) – www.gallica.bnf.fr
Human Rights Library – www1.umn.edu/humanrts
IDRC Library – www.idrc.ca/library
Internet Ancient History Sourcebook – www.fordham.edu/halsall/ancient/asbook.html
National Library of Australia – www.nla.gov.au
Oxford Digital Library – www.odl.ox.ac.uk
Projeto Releituras – www.releituras.com
Servei de Biblioteques (Universidade Autônoma de Barcelona) – www.bib.uab.es
The British Library – www.bl.uk
Tiflolibros – www.tiflolibros.com.ar
Unesco Libraries Portal – www.unesco.org/webworld/portal_bib

  1. BIBLIOTECAS VIRTUAIS

Alexandria Virtual – www.alexandriavirtual.com.br
Bartleby.com – www.bartleby.com
Bibliomania – www.bibliomania.com
Proyecto Biblioteca Digital Argentina – www.biblioteca.clarin.com
Biblioteca dei Classici Italiani – www.fausernet.novara.it/fauser/biblio
Biblioteca Electrónica Cristiana – www.multimedios.org
Biblioteca Virtual do Estudante Brasileiro – www.bibvirt.futuro.usp.br
Biblioteca Virtual – Literatura – www.biblio.com.br
Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes – www.cervantesvirtual.com
Biblioteca Virtual Universal – www.biblioteca.org.ar
International Children’s Digital Library (e-livros infantis em cem línguas)- www.icdlbooks.org
Banco de Teses – resumos de teses e dissertações apresentadas no Brasil desde 1987: http://www.capes.gov.br
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações – teses e dissertações apresentadas na USP: http://www.teses.usp.br
Biblioteca Virtual em Saúde – dados de pesquisas sobre adolescência, ambiente e saúde: http://www.bireme.br
Digital Library of MIT Theses – teses do Instituto de Tecnologia de Massachusetts desde 1888: http://theses.mit.edu
Great Images in Nasa – imagens históricas: http://grin.hq.nasa.gov
ProQuest Digital Dissertations – sistema para pesquisar resumos de teses e de dissertações: http://wwwlib.umi.com/dissertations
Public Health Image Library – questões de saúde pública: http://phil.cdc.gov
PubMed – artigos biomédicos: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/entrez/query.fcgi
SciELO – biblioteca eletrônica com periódicos científicos brasileiros: http://www.scielo.br
ScienceDirect – mais de 1.800 revistas, de “ACC Current Journal Review” a “Zoological Journal”: http://www.sciencedirect.com
Universia Brasil – busca teses nas universidades públicas paulistas e na PUC-PR: http://www.universiabrasil.net/busca_teses.jsp

  1. BIBLIOTECAS INSTITUIÇÕES
    Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil – www.fnlij.org.br
    Conselho Federal de Biblioteconomia – www.cfb.org.br
    Conselho Regional de Biblioteconomia de São Paulo – www.crb8.org.br
    Council on Library and Information Resources –www.clir.org
  2. ASSOCIAÇÕES

Academia Brasileira de Letras – www.academia.org.br
American Library Association – www.ala.org
Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas – www.apbad.pt
Association des Bibliothécaires Français –www.abf.asso.fr
Associação de Leitura do Brasil – www.alb.com.br
Câmara Brasileira do Livro – www.cbl.org.br
European Bureau of Library, Information and Documentation Associations –www.eblida.org
International Federation of Library Associations and Institutions – www.ifla.org
Projeto Memória de Leitura – www.unicamp.br/iel/memoria
REBRA – Rede de Escritoras Brasileiras –http://rebra.org
Sociedad Española de Documentación e Información Científica – www.sedic.es

  1. BIBLIOTECAS PARA CONSULTA
    Biblioteca do Congresso americano::  http://www.loc.gov
    Biblioteca Nacional (Brasil): http://www.bn.br
    Bibliotecas da cidade de São Paulo: http://www4.prefeitura.sp.gov.br/biblioteca/PaginaInicial.asp
    Bibliotecas das universidades públicas paulistas: http://bibliotecas-cruesp.usp.br
    Biblioteca Apostólica Vaticana: http://bav.vatican.va
    Biblioteca Central – localize os livros das bibliotecas da UFRGS: http://www.biblioteca.ufrgs.br
    Biblioteca del Congreso – item Expo Virtual mostra alguns tesouros dessa biblioteca argentina:  http://www.bcnbib.gov.ar
    Biblioteca Digital Andina – Bolívia, Colômbia, Equador e Peru estão representados: http://www.comunidadandina.org/bda
    Biblioteca Digital de Obras Raras – livros completos digitalizados: http://www.obrasraras.usp.br
    Biblioteca do Hospital do Câncer – especializado em oncologia: http://www.hcanc.org.br/outrasinfs/biblio/biblio1.html
    Biblioteca do Senado Federal – sistema de busca nos 150 mil títulos da biblioteca: http://www.senado.gov.br/biblioteca
    Biblioteca Mário de Andrade – principal biblioteca de São Paulo: http://www.prefeitura.sp.gov.br/mariodeandrade
    Biblioteca Nacional de Portugal : http://www.bn.pt
    Biblioteca Nacional de España: http://www.bne.es
    Biblioteca Nacional de la República Argentina – biblioteca, mapoteca e fototeca: http://www.bibnal.edu.ar
    Biblioteca Nacional de Maestros – biblioteca argentina voltada para a comunidade educativa: http://www.bnm.me.gov.ar
    Biblioteca Nacional del Perú – alguns livros eletrônicos, mapas e imagens: http://www.binape.gob.pe
    Biblioteca Nazionale Centrale di Roma:  http://www.bncrm.librari.beniculturali.it
    Biblioteca Româneasca – textos em romeno e dados sobre autores do país: http://biblioteca.euroweb.ro
    Biblioteca Virtual Galega – textos em língua galega, parecida com o português: http://bvg.udc.es
    Bibliotheca Alexandrina: http://www.bibalex.org/website
    California Digital Library – imagens e e-livros oferecidos pela Universidade da Califórnia:  http://californiadigitallibrary.org
    Celtic Digital Library – história e literatura celtas: http://celtdigital.org
    Círculo Psicanalítico de Minas Gerais – acervo especializado em psicanálise: http://www.cpmg.org.br/n_biblioteca.asp
    Cornell Library Digital Collections – compilações variadas, sobre agricultura e matemática, por exemplo: http://moa.cit.cornell.edu
    Corpus of Electronic Texts – história, literatura e política irlandesas: http://www.ucc.ie/celt
    Crime Library – histórias reais de criminosos, espiões e terroristas: chttp://www.crimelibrary.com
    Educ.ar Biblioteca Digital – em espanhol: http://www.educ.ar/educar/superior/biblioteca_digital
    Gallica – Bibliothèque Numérique – volumes da Biblioteca Nacional da França digitalizados: http://gallica.bnf.fr
    Human Rights Library – mais de 14 mil documentos relacionados aos direitos humanos:  http://www1.umn.edu/humanrts
    IDRC Library – textos e imagens desse centro de estudos do desenvolvimento internacional:  http://www.idrc.ca/library
    Internet Ancient History Sourcebook – documentos da Antiguidade: http://www.fordham.edu/halsall/ancient/asbook.html
    Internet Archive – guarda páginas da internet em seus diversos estágios de evolução: http://www.archive.org
    Internet Public Library – páginas em que se podem ler documentos sobre áreas específicas do conhecimento: http://www.ipl.org
    John F. Kennedy Library – sobre o presidente americano John F. Kennedy,  morto em 1963: http://www.cs.umb.edu/jfklibrary
    LibDex – índice para localizar mais de 18 mil bibliotecas do mundo todo e seus sites: http://www.libdex.com
    Lib-web-cats – bibliotecas de mais de 60 países, com foco nos EUA e Canadá: http://www.librarytechnology.org/libwebcats
    Libweb – outro site de busca de instituições, com 6.600 links de 115 países: http://sunsite.berkeley.edu/Libweb
    Mosteiro São Geraldo – livros e periódicos sobre história e literatura húngara,  filosofia, teologia e religião: http://www.msg.org.br
    National Library of Australia – divulga periódicos australianos da década de 1840: http://www.nla.gov.au
    Oxford Digital Library – centraliza acesso a projetos digitais das bibliotecas da Universidade de Oxford: http://www.odl.ox.ac.uk
    Perseus Digital Library – dedicado a estudos sobre os gregos e romanos antigos: http://www.perseus.tufts.edu
    Servei de Biblioteques – bibliotecas da Universidade Autônoma de Barcelona: http://www.bib.uab.es
    The Aerial Reconnaissance Archives – fotos aéreas da Segunda Guerra Mundial: http://www.evidenceincamera.co.uk
    The British Library – além de busca no catálogo, tem coleções virtuais separadas por região geográfica: http://www.bl.uk
    The Digital Library – diversas coleções temáticas, como a de escritoras negras americanas do século 19: http://digital.nypl.org
    The Digital South Asia Library – periódicos, fotos e estatísticas que contam a história do Sul da Ásia: http://dsal.uchicago.edu
    The Huntington – grande quantidade de obras raras em arte e botânica: http://www.huntington.org
    The Math Forum – textos que se propõem a auxiliar no ensino da matemática: http://mathforum.org/library
    The New Zealand Digital Library – arquivos sobre questões humanitárias: http://www.sadl.uleth.ca/nz/cgi-bin/library
    Treasures of Keyo University – um dos destaques é a reprodução da Bíblia de Gutenberg: http://www.humi.keio.ac.jp/treasures
    Unesco Libraries Portal – bibliotecas e projetos para a preservação da memória: http://www.unesco.org/webworld/portal_bib
    UOL Biblioteca – dicionários, guias de turismo e especiais noticiosos: http://www.uol.com.br/bibliot
    UT Library Online – possui uma ampla coleção de mapas: http://www.lib.utexas.edu
    Alexandria Virtual – acervo variado, de literatura a humor: http://www.alexandriavirtual.com.br
    Bartleby.com – importantes textos: http://www.bartleby.com
    Bibliomania – 2.000 textos clássicos e guias de estudo em inglês: http://www.bibliomania.com
    Biblioteca dei Classici Italiani – literatura italiana, dos “duecento” aos “novecento”: http://www.fausernet.novara.it/fauser/biblio
    Biblioteca Electrónica Cristiana – teologia e humanidades vistas por religiosos: http://www.multimedios.org
    Biblioteca Virtual do Estudante Brasileiro – especializada em literatura em língua portuguesa: http://www.bibvirt.futuro.usp.br
    Biblioteca Virtual – Literatura – pretende reunir grandes obras literárias: http://www.biblio.com.br
    Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes – cultura hispano-americana: http://www.cervantesvirtual.com
    Biblioteca Virtual Universal – textos infanto-juvenis, literários e técnicos: http://www.biblioteca.org.ar
    Contos Completos de Machado de Assis – mais de 200 contos de Machado de Assis: http://www.uol.com.br/machadodeassis
    Cultvox – serviço que oferece alguns e-livros gratuitamente e vende outros: http://www.cultvox.com.br
    Dearreader.com – clube virtual que envia por e-mail trechos de livros: http://www.dearreader.com
    eBooksbrasil – livros eletrônicos gratuitos em diversos formatos: http://www.ebooksbrasil.com
    iGLer – acesso rápido a duas centenas de obras literárias em português: http://www.ig.com.br/paginas/novoigler/download.html
    International Children’s Digital Library – pretende oferecer e-livros infantis em cem línguas: http://www.icdlbooks.org
    IntraText – textos completos em diversas línguas, entre elas o latim: http://www.intratext.com
    Jornal da Poesia – acervo de poesia em língua portuguesa: http://www.secrel.com.br/jpoesia
    Net eBook Library – biblioteca virtual com parte do acervo restrito a assinantes do site:  http://netlibrary.net
    Nuovo Rinascimento – documentos do Renascimento italiano: http://www.nuovorinascimento.org/n-rinasc/homepage.htm
    Online Literature Library – pequena coleção para ler diretamente no navegador: http://www.literature.org
    Progetto Manuzio – textos em italiano para download, incluindo óperas: http://www.liberliber.it/biblioteca
    Project Gutenberg – site com obras integrais disponíveis gratuitamente: http://www.gutenberg.net
    Proyecto Biblioteca Digital Argentina – obras representativas da literatura argentina: http://www.biblioteca.clarin.com
    Romanzieri.com – livros eletrônicos em italiano compatíveis com o programa
    Microsoft Reader: http://www.romanzieri.com
    Sololiteratura.com – textos sobre autores hispano-americanos: http://www.sololiteratura.com
    Textos de Literatura Galega Medieval – pequena seleção de poesias e histórias medievais: http://www.usc.es/~ilgas/escolma.html
    The Literature Network – poemas, contos e romances de aproximadamente 90 autores: http://www.online-literature.com
    The Online Books Page – afirma ter mais de 20 mil livros on-line: http://digital.library.upenn.edu/books
    The Online Medieval and Classical Library – obras literárias clássicas e medievais: http://sunsite.berkeley.edu/OMACL
    Usina de Letras – divulga a produção de escritores independentes: http://www.usinadeletras.com.br
    Virtual Book Store – literatura do Brasil e estrangeira, biografias e resumos:http://www.vbookstore.com.br
    Virtual Books Online – e-livros gratuitos em vários idiomas: http://virtualbooks.terra.com.br

ASSOCIAÇÕES

American Library Association – sobre o sistema de bibliotecas dos EUA: http://www.ala.org
Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas: http://www.apbad.pt
Association des Bibliothécaires Français: http://www.abf.asso.fr
Conselho Federal de Biblioteconomia – atualidades e links de interesse da área: http://www.cfb.org.br
Conselho Regional de Biblioteconomia de São Paulo – legislação e eventos da biblioteconomia: http://www.crb8.org.br
Council on Library and Information Resources – preservação de informações: http://www.clir.org
European Bureau of Library, Information and Documentation Associations: http://www.eblida.org
International Federation of Library Associations and Institutions: http://www.ifla.org
Sociedad Española de Documentación e Información Científica – oportunidades,  como cursos virtuais: http://www.sedic.es

Caso queiram sugerir + bibliotecas com seus links para acesso, só comentarem nesta postagem

 

Bibliotecas e Realidade Virtual

Bibliotecas na vanguarda do fornecimento de acesso a tecnologias emergentes

Como uma cápsula do tempo, um vídeo promocional que a Queen Elizabeth II Library fez em 1996 contém sugestões do futuro e do desenvolvimento da tecnologia.

Bibliotecários e funcionários da biblioteca ficam em pé por enormes computadores com telas pretas e piscar fontes verdes e azuis.

Eles demonstram versões iniciais de bancos de dados acadêmicos e catálogos de bibliotecas on-line para estudantes, professores e pesquisadores.

A estudante de ciência de Grenfell Kelsey Jewer demonstra o Daydreamer virtual de Google.

DE STOCK: CRISTAL ROSA

Google-daydreamer-main-image.jpg

foto retirada do site: https://gazette.mun.ca/research/limitless-potential/

Duas décadas de diferença

Isso foi há 21 anos. O Commons não existia. O smartphone não existia. A Internet era um toddler.

Veja os clipes do vídeo de 1996 e os clipes da Biblioteca QEII de hoje abaixo. (Nota: O vídeo não tem som.)

Ensinando e aprendendo

Passo adiante no tempo até 2016. As bibliotecas continuam a fornecer o acesso essencial à tecnologia emergente focalizando no potencial da realidade aumentada e virtual, assim como os espaços do makers.

“As bibliotecas estão interessadas em todas as formas possíveis de apoiar o ensino ea aprendizagem”, disse Crystal Rose, bibliotecária de serviços públicos, Ferriss Hodgett Library, Grenfell Campus.

A Ferriss Hodgett Library recentemente ofereceu a opção de usar o Google Cardboard, uma plataforma de realidade virtual que funciona com qualquer smartphone, bem como canetas 3D e visualizações do Google Daydream 3D.

Simplesmente fazendo o download de um aplicativo e inserindo um smartphone no visualizador do Google Cardboard, muitos aplicativos educacionais e de realidade virtual estão disponíveis, incluindo aqueles que o levam dentro do corpo humano, pontos turísticos e locais significativos em todo o mundo. Um cérebro humano em busca de neurônios que causam transtornos mentais.

“A biblioteca tem um papel importante em assegurar que estas tecnologias emergentes estejam acessíveis aos estudantes e à faculdade de Memorial.”– Crystal Rose

Kristine Power é consultora de comunicações da Queen Elizabeth II Library. Ela pode ser contatada em kristinep@mun.ca .

Os estudantes podem visitar em qualquer lugar do mundo, visitar museus ou ruínas antigas, examinar espécimes biológicos, olhar para o universo ou visualizar teorias complexas sem nunca sair do campus.

“Ao fornecer aos nossos alunos e professores uma oportunidade de experimentar com esta nova tecnologia, eles podem determinar como ele poderia ser usado na sala de aula para melhorar a aprendizagem e envolver os alunos”, disse Rose.

“Acho que veremos mais realidade virtual e aumentada usada no ensino no futuro ea biblioteca tem um papel importante em assegurar que essas tecnologias emergentes sejam acessíveis aos alunos e aos professores da Memorial”.

Experimentar criatividade

O Commons, uma parceria entre as bibliotecas da Universidade Memorial, o Centro de Inovação em Ensino e Aprendizagem e Serviços de Tecnologia da Informação, adquiriu recentemente um espaço de produção móvel com a ajuda da Faculdade de Engenharia e Ciência Aplicada.

Este espaço, também conhecido como um espaço de hackers ou laboratório de fabricação, pode viajar através do campus e em salas de aula com relativa facilidade.

Os alunos aprendem um conceito em um ambiente de sala de aula tradicional, mas usam a tecnologia do espaço para aplicar o que aprenderam em tempo real testando, adaptando e experimentando o conceito de uma maneira que incentiva o pensamento crítico.

Uma idéia, uma equação, uma fórmula, até mesmo um desejo pode se tornar um objeto do mundo físico.

Artefato educacional

“O espaço móvel combina equipamentos de alta tecnologia como a impressão 3D com equipamentos mais tradicionais, como uma máquina de costura. A única limitação é a imaginação de uma pessoa “, disse Shawn Pendergast, gerente de serviços de estudantes, Serviços de Tecnologia da Informação.

“Neste semestre estamos pilotando um projeto que envolve trabalhar com alunos em projetos individuais. Já contratamos professores da Escola de Cine Humana e Recreação, da Faculdade de Educação e da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais para levar um seleto grupo de alunos em uma jornada que começa em suas salas de aula cobrindo um tópico, mas estende-se além dessas paredes em O processo criativo que acabará por terminar com um artefato educacional que eles podem segurar em suas mãos “.

Novos caminhos

À medida que a tecnologia revoluciona o mundo que nos rodeia, as bibliotecas estão em posição de fornecer acesso a novos caminhos para apoiar a exploração do conhecimento.

“Nossas bibliotecas estão sempre cultivando uma cultura de inovação à medida que o mundo à nossa volta se transforma”, disse Susan Cleyle, bibliotecária da Universidade Memorial.

“Estamos prestes a iniciar um novo processo de planejamento estratégico que continuará a se concentrar nas oportunidades que a tecnologia nos proporciona para cumprir nosso importante compromisso com o corpo docente, estudantes e funcionários da Memorial”.

traduzido da página:https://gazette.mun.ca/research/limitless-potential/. 15.02.2017. 19:11

Bibliotecas Inovadoras

A inovação é um processo gradativo e estritamente tecnológico, propiciando aspectos evolutivos de um espaço ou de uma relação.
Na sociedade as bibliotecas possuem centros de conhecimento, fundamentados na percepção cognitiva do pensamento.
Neste post, revelarei algumas bibliotecas inovadoras ,  mencionadas pelos estudos do IPEA, no e book Bibliotecas do século XXI.
Segue Algumas Bibliotecas Inovadoras:
1) Harvard Library Lab (Estados Unidos): projeto Library Innovation Podcasts
(série de entrevistas com bibliotecários inovadores);
download.png
2) Vancouver Public Library’s (Canadá): projeto Inspiration Lab (laboratóriode inovação na biblioteca);
vancouver-public-library.jpg
3) The Fashion Library (Amsterdã): biblioteca que empresta roupas;
4) Cambridge University Library (Inglaterra): projeto Library Collections
(a biblioteca reúne coleções da comunidade);
5) Human Library Organization (diversos países): projeto de aprendizado
por meio das histórias de pessoas;
6) Biblioteca Pública de Kista (Estocolmo): vencedora do prêmio Public
Library of the Year Award 2015 (biblioteca pública mais inovadora);
7) Biblioteca das Coisas (Estados Unidos): bibliotecas públicas dos Estados
Unidos emprestam até varas de pescar para a comunidade;
8) Bibliotecas incomuns: iniciativas inovadoras pelo mundo (http://bit.ly/1BJKv1X);
9) Bibliotecas como “makerspaces”: espaços de inovação (http://bit.ly/1RydpZs);
10) Design Thinking para Bibliotecas: projetos dos bibliotecários thinkers
11) Crowdsourcing em bibliotecas: bibliotecas colaborativas (http://bit.ly/1PpnMQ6).

Novo periódico: Journal of Copyright in Education and Librarianship

aa.png

Journal of Copyright in Education and Librarianship.

Trata-se de um novo periódico de acesso aberto que integra as áreas de Direitos Autorais e Biblioteconomia lançado em 2016.

Possui publicação bi-anual de artigos, revisões e estudos de caso que analisam ou descrevem as estratégias, parcerias e o impacto da lei de direitos autorais em bibliotecas públicas, escolares, acadêmicas e digitais, arquivos, museus e instituições de pesquisa e suas iniciativas educacionais, conforme consta na descrição do periódico. Além disso, não cobra taxas dos autores e publica os artigos sob licenças Creative Commons.

Alguns dos temas de interesse do periódico são:

  • Efeitos da lei de direitos autorais na Educação e na Biblioteconomia
  • A aplicação de exceções da lei de direitos autorais em bibliotecas e outros setores educacionais
  • Litígios atuais e os esforços legislativos e advocacia em nome de todos os usuários
  • As implicações práticas da lei de direitos autorais atual e proposta, tanto nos Estados Unidos e internacionalmente
  • Iniciativas de educação das comunidades do campus para a tomada de decisão e avaliação de direitos autorais de boa-fé
  • Desenvolvimento de políticas de direitos autorais e boas práticas para ajudar a guiar os usuários na aplicação da lei de direitos autorais e leis de propriedade intelectual relacionadas
  • Artigos práticos sobre a implementação de novos serviços no âmbito da lei
  • Direitos autorais em um ambiente crescente de educação
  • Licenciamento e o impacto das licenças na educação e nas bibliotecas
  • Pedagogia do ensino sobre direitos autorais

Boa leitura!

Reprodução do blog:http://www.eduardograziosi.com.br/novo-periodico-journal-of-copyright-in-education-and-librarianship/

VII Encontro de Contadores de Histórias Aracaju

15781403_1061237310671972_5269894944568114823_nO VII Encontro de Contadores de Histórias reunirá em Aracaju nos dias 24 e 25 de março de 2017, contadores de histórias, educadores, bibliotecários, escritores, mediadores de leitura, estudantes e todos aqueles que admiram a arte de contar histórias de Sergipe e de outros estados, em torno de discussões a respeito da contação de histórias como elemento integrador entre o livro e a leitura, aprofundando o entendimento das histórias infantis, debatendo o valor literário, o significado simbólico e o impacto cultural das histórias na formação de leitores, além de disseminar esta milenar arte da oralidade.

Informações: https://www.facebook.com/encontrodecontadoresdehistoriasdesergipe/?fref=nf

Formulário de Inscrição: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSc9m890li_RN_kTJKnhV0ujwiqvDOs0TT8MfsfbgYtoV2eIFw/viewform

Telefone: 79 3179-1965

e-mail: biafa@cultura.se.gov.br

15826833_1061237420671961_3294486100389073474_n.jpg

Palestrantes confirmados:

Participem e compartilhem!

GUIA PRÁTICO SOBRE CLASSIFICAÇÃO DE CORES E ENTREVISTA

Neste 24 de dezembro de 2016, o blog deseja a todos um feliz Natal.

Para abrilhantar este tempo natalino, foi concedida uma entrevista da Profa. Mariza Inês, docente da Universidade Federal de Mato Grosso, que lança seu livro:

screen-shot-12-24-16-at-01-58-pm
Livro gratuito sobre Classificação em Cores

BAIXE O LIVRO GRATUITAMENTE: guia-pratico-sobre-classificacao-em-cores-pdf

Portifólio

Nome: Mariza Inês da Silva Pinheiro

Profissão: Professora

Naturalidade: São José do Norte – RS

pp.jpg

Resumo profissional e pessoal: 

Graduada em Biblioteconomia da Universidade Federal de Rio Grande, RS, Mestre em Engenharia da Produção pela Universidade Federal de Santa Maria, RS e Doutora em Documentação pela Universidade Carlos III, Espanha. Experiência em gestão de biblioteca universitária e escolar. Docente no Curso de Biblioteconomia da Universidade Federal de Mato Grosso..

 

 

ENTREVISTANDO:

Profa. Mariza Inês da Silva Pinheiro

Perguntas?

  1. Por que decidiu escrever sobre o tema?.

Para disseminar a minha experiência nas bibliotecas escolares de Mato Grosso e por ser um tema com pouquíssimas publicações. É importante divulgar as experiências que deram certo e dar oportunidade de outros profissionais conhecerem essa metodologia.

 

  1. Qual é a principal ideia que o leitor terá ao acabar de ler o livro?

Que é possível organizar uma biblioteca escolar/infantil/pública de forma fácil, na qual se tem uma boa recuperação das obras. Mas para isso deve existir comprometimento do bibliotecário para que a biblioteca não tenha apenas um local organizado, mas que seja uma biblioteca organizada para ser utilizada.

 

  1. Quais as perspectivas que a senhora acha na implementação da classificação de cores nas bibliotecas?

Vejo uma boa perspectiva de que esta metodologia possa ser aplicada em muitas bibliotecas do Brasil, ajudando todos os usuários a obter um acesso rápido as obras bibliográficas. Temos que proporcionar uma nova realidade, deixando a biblioteca organizada e funcional, mudando a imagem de que a biblioteca é um amontoado de livros.  Não devemos esquecer que a biblioteca é um espaço educacional, cultural e social.

 

  1. A Sra acha que a leitura já é suficiente para ajudar o bibliotecário a resolver o seu problema na biblioteca, atraindo a percepção visual das crianças, na classificação de cores?

Cada biblioteca tem uma realidade, tanto de espaço físico quanto de recursos humanos, por isso é bom avaliar juntamente com a gestão da escola a possibilidade da aplicabilidade dessa metodologia com sucesso. Não é só fazer a parte técnica, devemos envolver toda equipe escolar com treinamento e mostrar a importância da organização no processo educacional.

 

  1. Qual é parte do livro que o Sra mais gosta ou acha importante? Tem alguma parte curiosa que se deve ter mais atenção?

Todo o conteúdo do livro é importante, pois a organização funcional é colocada com caminhos e ações. Cada capítulo deve ser lido com atenção para o melhor entendimento e aplicabilidade da metodologia.

Uma boa leitura para este natal!

BAIXE O LIVRO GRATUITAMENTE: guia-pratico-sobre-classificacao-em-cores-pdf

 

Bibliotecários e Pesquisa do Impacto – Baixar e compartilhar o novo infográfico

Mais e mais os bibliotecários estão sendo chamados para ajudar a controlar e informar sobre os resultados e o impacto da investigação. A partir de uma paisagem de artigos e livros de citações, a vista ampliou a uma gama de produtos da investigação, medidas e aplicações.

Baixe e compartilhe o novo infográfico da Biblioteca Connect da Elsevier e  Jenny Delasalle , um consultor independente e bibliotecário.

Ele  conta a história de como os bibliotecários estão trabalhando com pesquisadores e do escritório de pesquisa para medir o impacto da investigação e para explorar a aplicação destas medidas.

 

Nós também convidamos os bibliotecários para tirar vantagem das muitas ferramentas e recursos que a Elsevier oferece para apoiar  os bibliotecários e pesquisadores na promoção da investigação e avaliar o seu impacto.

  1. Atualizar o Scopus perfil autor e integrar automaticamente com ORCID.
  2. Compartilhe recém artigos publicados gratuitamente por 50 dias comScienceDirect Compartilhar link .
  3. Confira Relatórios ScienceDirect artigo de uso para as estatísticas de nível de artigo.
  4. Estabelecer um perfil acadêmico em Mendeley e promover a sua investigação.
  5. Descubra o que os pesquisadores estão discutindo em grupos Mendeley .
  6. Toque em redes sociais e acadêmicas com altmetrics em ScienceDirect e Scopus .
  7. Acesse análises comportamentais mais profundas através deMendeley Institucional Edição .
  8. Use analisadores Scopus para comparar resultados de pesquisa, autores e periódicos.
  9. Melhorar a estratégia de pesquisa com SciVal ferramentas de colaboração e de benchmarking.
  10. Gerenciar informações de pesquisa e corpo docente de sua instituição com Pure .
  11. Baixar  Snowball Metrics , padrões globais de avaliação comparativa institucional.

Harvester in Library and Information Science – HiLIS

Postado pelo Docente da Universidade Federal de Rondônia. Pedro Andretta, no grupo Biblioteconomia Brasil

 

Screen Shot 11-29-16 at 08.03 PM.PNG

Departamento de Ciência da Informação disponibiliza mecanismo de busca de artigos em Biblioteconomia e áreas correlatas

ACESSE NO LINK ABAIXO:

www.biblioteconomia.unir.br/hilis

O Departamento de Ciência da Informação da Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR) torna público um mecanismo de busca para artigos acadêmicos e científicos na área de Biblioteconomia e em áreas correlatas. Com mais de 76 mil registros de artigos on-line, provenientes de 198 periódicos de acesso livre na área de Ciência da Informação e domínios afins, o mecanismo oferece como diferencial a cobertura internacional.

O mecanismo de busca, denominado Harvester in Library and Information Science (HiLIS), disponível em www.biblioteconomia.unir.br/hilis, é parte do resultado do Trabalho de Conclusão de Curso da ex-aluna do curso de Biblioteconomia Adriana Bruna Silva Albuquerque, intitulado “A implantação e implementação de um sistema harvester para a coleta e difusão de registros de periódicos de Acesso Livre Nacional e Internacional em Ciência da Informação”, sob orientação do professor mestre Pedro Ivo Silveira Andretta.

No trabalho, a aluna descreveu a implantação e implementação de um sistema harvester para facilitar a pesquisa e o acesso à produção científica para acadêmicos e profissionais da área de Ciência da Informação, mapeando os periódicos de acesso livre na área de cobertura, configurando e avaliando o sistema harvester, além de elaborar uma política para gestão da coleção.

O propósito do Harvester in Library and Information Science – HiLIS é colaborar com as práticas de ensino, pesquisa e extensão junto à comunidade acadêmica e profissional em Arquivologia, Biblioteconomia, Documentação, Gestão do Conhecimento, Gestão da Informação e Museologia a partir da reunião de registros sobre as publicações em periódicos. Conforme o professor orientador, “o HiLIS complementa as opções de busca de artigos em Ciência da Informação tais como as Bases de dados Peri/UFMG, a Base Referencial de Artigos de Periódicos em Ciência da Informação/UFPR (BRAPCI) e o Repertório da Produção Periódica Brasileira de Ciência da Informação/UFAL-USP (RPPBCI), que já indexam artigos de publicações nacionais, indo além, sumarizando também a produção na área de acesso livre e que se utiliza de padrões de interoperabilidade em âmbito internacional (global)”.

A manutenção e a atualização do sistema está a cargo do professor Andretta do Departamento de Ciência da Informação. “No futuro os responsáveis e apoiadores esperam poder trabalhar gerando métricas e produtos terminológicos com os dados compilados pelo sistema, além de oferecer uma interface multilíngue aos visitantes”, informa o docente.

Como a ciência pode ajudar na educação?

cropped-Technology-Wallpaper-9-2

Acessem:

http://cienciaparaeducacao.org/sobre/

 

Criada em novembro de 2014 por um grupo inicial de 30 cientistas de universidades brasileiras, a rede tem por objetivo unir pesquisadores de diferentes áreas do conhecimento interessados em realizar pesquisas científicas que possam promover melhores práticas e políticas educacionais baseadas em evidências.

Nossa missão é fazer pesquisa translacional em educação, como já se faz há muito tempo para a saúde. Isso significa levar os conhecimentos adquiridos no laboratório para a realidade da escola. Para isso, buscamos:

– identificar e conectar grupos de pesquisa pelo país cujos trabalhos possam de alguma forma contribuir para a educação.

– aproximar pesquisadores, educadores e gestores para discutir o campo de science of learning (ciência para educação) e suas aplicações políticas e práticas.

– estimular e conduzir pesquisas sobre aprendizado e ensino.

– promover experimentos em escolas e ambientes escolares para testar hipóteses pedagógicas.

Termos tecnológicos para aprender

O Site da Intel divulgou 12 termos sobre tecnologia para conhecimento do leitor. Achei pertinente compartilhar com ocês, caros leitores!

 

Que tecnologia? 12 termos tecnológicos para aprender agora

Deb Miller Landau iQ Managing Editor

Desvende os mistérios da “nuvem” e da “Internet das coisas (IoT)”, aprenda a diferença entre realidade aumentada e realidade virtual e descubra o significado de “Realidade Mista”. Essas definições simples ajudarão a aumentar seus conhecimentos de tecnologia.

A inovação tecnológica está acelerando a um ritmo que torna quase impossível aos dicionários modernos acompanharem. Novas palavras e termos tecnológicos nascem com a mesma velocidade dos fotônicos de silício (ver abaixo). Algumas perdem a força e tornam-se palavras de efeito, sem muito significado, mas muitas delas transformam-se em gíria que ajuda a entender a Era Digital.

“Todos os anos, uma nova terminologia tecnológica aparece e desaparece das mentes dos consumidores”, disse Ben Wood, Vice-Presidente de Pesquisa da CSS Insight. “Embora a maioria das pessoas possa ignorar o excesso de vocabulário, alguns termos continuam a fazer parte do nosso vernáculo. Vale a pena aprender esses termos se desejarmos nos manter informados acerca das últimas tendências tecnológicas.”

Apresentamos uma lista de vocábulos técnicos que estão passando do anonimato para a realidade. Da mesma forma que idiomas evoluem, essas definições também evoluirão à medida que seu uso coletivo e as novas tecnologias avançam.

Inteligentes e conectados

Carro autônomo é o mesmo que “automóvel sem motorista” e “carro robótico”. Um carro autônomo é um veículo capaz de perceber o ambiente e navegar sem participação humana. Ele pode detectar seu entorno usando uma diversidade de tecnologias, tais como radar, LIDAR, GPS, odometria e visão de computador. Os carros autônomos requerem recursos completos, de trava de porta a data center, inclusive computação incrivelmente robusta no interior do veículo, conectividade 5G, interface ser humano-máquina e um data center capaz de dar suporte e analisar volumes de Big Data sem precedentes e modelos de aprendizado de máquina com uso intensivo de memória.

tech terms_autonomous drivingBig Data é a análise de volumes de dados extremamente altos a fim de descobrir padrões, tendências e associações, especialmente relacionados ao comportamento e às interações de seres humanos.

Uma Nuvem é uma rede de servidores que trabalham juntos para processar, armazenar e recuperar informações via internet.  Ela é capaz de executar uma série de aplicativos com mais eficiência e confiabilidade do que um único servidor. As nuvens podem ser públicas, permitindo que indivíduos ou organizações “aluguem” recursos de computação, ou privadas, pertencentes a uma única organização para seu uso exclusivo.

A Internet das coisas (IoT, na sigla em inglês) é o que faz com que objetos tradicionalmente desconectados tornem-se “inteligentes”, graças à capacidade de se conectarem à internet. Entre as “coisas” conectadas estão termostatos domésticos, rastreadores de peças de vestuário no varejo e carros equipados com internet. Uma vez conectadas, essas coisas têm o potencial de serem controladas e gerenciadas remotamente e de gerar dados que possam ser analisados e visualizados para entendermos melhor suas condições de funcionamento e o ambiente à sua volta.

ClearCurve_Fibers_on_Silicon_Photonics_WaferChips fotônicos de silício referem-se a dispositivos ópticos feitos de silício e luz (fótons). Eles são capazes de movimentar imensos volumes de dados a velocidades muito elevadas, com consumo de energia extremamente baixo, por uma fibra óptica fina em vez dos cabos de cobre tradicionais. A tecnologia movimenta os dados literalmente à velocidade da luz.

5G é a próxima evolução da tecnologia sem fio. Ela converge 2,5G, 3G, 4G, LTE e Wi-Fi e está preparada para transformar a maneira como as pessoas e as coisas digitais se comunicam e interagem com o mundo.

Inteligência artificial (IA) é um ramo da ciência da computação no qual as máquinas podem sentir, aprender, pensar, agir e adaptar-se ao mundo real, ampliando a capacidade humana, automatizando tarefas enfadonhas ou perigosas e ajudando a solucionar alguns dos nossos problemas sociais mais desafiadores.

Aprendizado de máquina (AM) é um subcampo da IA, no qual os computadores são capazes de acumular e processar um imenso volume de dados que lhes permitem criar algoritmos matemáticos que habilitam os computadores a agir ou “pensar” sem serem explicitamente orientados a realizar determinadas funções.

Aprendizado Profundo (AP), um subconjunto do Aprendizado de Máquina, utiliza modelos de redes neurais para compreender grandes volumes de dados. O aprendizado profundo pode acelerar processos como reconhecimento de imagem, processamento de linguagem natural e outras tarefas complexas orientadas por dados. Ele é, por exemplo, a tecnologia por trás do recurso de reconhecimento/marcação facial nas redes sociais e será crucial para tornar possível a experiência de direção autônoma.

Variações Digitais da Realidade

Intel_VR-Infographic-081216-DRealidade aumentada (RA) é o que faz com que um computador sobreponha “melhorias” que revestem o ambiente real do usuário – como rotular os canos de uma central elétrica, mostrar o caminho a percorrer para chegar ao destino almejado ou captar no mundo real personagens de ficção que na verdade não estão lá.

Minecraft-Gear-VR-edition_3_no-credit-e1465597891811-ukRealidade virtual (RV) é o que faz com que o computador crie um ambiente completo que a pessoa vê, geralmente com o uso de óculos ou outro “Head-Mounted Display” (HMD). Os usuários podem experimentar sensações como estar na lua, atirar em asteroides no espaço ou caminhar no fundo do oceano.

Realidade Mista é onde os mundos digital e físico se encontram, onde os objetos físicos e digitais coexistem e interagem em tempo real.

A Realidade Mesclada descreve as ferramentas tecnológicas necessárias para criar novas experiências imersivas e representações digitais do mundo físico (ver gráfico).

No Fórum de Desenvolvedores Intel desta semana, o CEO da empresa, Brian Krzanich, disse que “a realidade mesclada afetará profundamente nossa maneira de trabalhar, de nos divertirmos e nos comunicarmos.” Ele anunciou o Projeto Alloy, que elevará a Realidade Mesclada a um patamar inteiramente novo – com headsets livres e possibilidade de mergulhar em um mundo virtual.

 

retirado do site:http://iq.intel.com.br/que-tecnologia-12-termos-tecnologicos-para-aprender-agora/?utm_campaign=Always-On-Q3&utm_source=Facebook&utm_medium=CPE&utm_term=Social&utm_content=mgb-Brazil_Always-On-Q3_Facebook_PagePost_Upper_Brand_IQ_TechCulture_12termos_CPE

 

%d blogueiros gostam disto: